sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Igreja, cuida de teus jovens

.
Por Wander Ribeiro

Por mais que diversas igrejas (denominações cristãs) estejam numericamente cheias, nunca estiveram espiritualmente tão vazias e os jovens tão distantes de Deus e de sua Verdade. Isso gera mais e mais desviados do Caminho a cada dia. Jovens que passam a frequentar uma igreja em busca de certas coisas e acabam encontrando outras, muitos que procuram algo distante da Palavra e mais próximo aos prazeres terrenos, conquistam, ou não, o que querem e logo se afastam, e ainda os que estão lá apenas fisicamente, por tradição ou obrigação, sem fazer diferença alguma, não são quentes nem frios (Ap 3:15), apenas foram educados para estar ali. A igreja, por sua vez, tenta de várias formas atrair os jovens e adota métodos, estratégias e técnicas cada vez mais ousadas, esquecendo-se e afastando-se da Palavra (2Jo 9). São verdadeiras boates, focadas em provocar sensações, onde o propósito é entreter e chamar a atenção da juventude. Com isso, a mundanização da igreja ocorre em velocidade assustadora e a apostasia (1Tm 4:1, 2Tm 4:3-4) cumpre-se diante dos nossos olhos.

Não creio em estratégias para atrair os jovens. Estes devem ser atraídos tão somente pela simplicidade do Evangelho do Senhor Jesus (2Co 11:3, Gl 1:8), pela Palavra (Rm 10:17). O que é atraído pela música, pela própria música é levado a outros caminhos, o que é atraído pelas danças, acaba tropeçando em seus passos, o que é atraído pelo dinheiro, pela beleza dos cifrões já está corrompido (1Tm 6:9-10, Mt 6:19-20), o que é atraído pela vaidade, é executado pelo seu narcisismo (Ec 12:8). Da mesma forma, o que é levado à igreja por sua busca de satisfação de prazeres carnais, será derrubado pela sua própria cobiça e concupiscência (Tg 1:14). As diversas estratégias acabam colaborando para que o jovem venha, não por Cristo, não em busca de arrependimento, mas em busca dos seus próprios interesses. Deixando-se guiar por seu enganoso coração (Jr 17:9).

Nesses anos, envolvido no meio cristão, vi centenas de jovens adentrarem igrejas, seduzidos por festas, grandes cultos recheados por música, luzes coloridas, coreografias, entre outros. Pude ver como as estratégias malignas são quase infalíveis. Tudo começa com euforia, passa pelo emocionalismo, chora-se muito, grita-se bastante, aprende-se pouco, não há conversão e arrependimento (At 26:20, At. 2:38), nem regeneração (2Co 5:17), muitos saem sem nem terem aprendido a orar (Mt 6:5-15) e, da mesma forma como é a subida, é a queda. Caem sem freio, com a cara no chão, sem base, nem conhecimento sobre Cristo (Mt 13:23), e a queda parece ser tão profunda e dolorosa, que se torna quase impossível um resgate. Acabam em meio às drogas, farras, desilusões, descrença, decepção, entregues á toda sorte de perversões e deteriorações às quais um ser humano pode sujeitar-se.

Não me causa estranheza que toda vez que começo a conversar sobre a Palavra do Redentor, as pessoas simplesmente falam: “Por que não dizem isso na igreja?” Esses questionamentos me levam a crer que os jovens querem sim ouvir sobre Jesus, porém, de forma pura e clara, sem contos, sem fábulas (2Tm 4:1-5), sem farras. Já conhecem esse mundo de festas, bebidas, danças, alucinações e mentiras e buscam, na igreja, algum motivo real para crerem em Cristo. Anseiam por verdade. Querem algo renovador, mas infelizmente, na maioria das vezes acabam por encontrar velhas práticas que já conhecem no mundo. E dizem: “Então é só isso?” Não há motivo algum para permanecer na igreja, a não ser satisfazer seus desejos humanos, massagear seu ego, manter uma boa imagem perante a sociedade, encontrar alguma pessoa para namorar ou “ficar” e ter algum lugar para ir no domingo à noite.

O jovem possui, naturalmente, uma pré-disposição ao conhecimento do novo, à revolução, ao desbravamento de terras e de seu próprio interior. A Palavra da Cruz (Ef 5:2), o Evangelho de Cristo e o plano da salvação (Jo 3:16, Mc. 16:16) e a nova vida em Jesus (2Co 5:17, Gl 6:15) despertam, indubitavelmente, a curiosidade e o interesse nos jovens de forma quase instantânea. Acredito que essa busca pelo sentido da vida, torne os jovens os seres humanos mais abertos a receberem a Palavra. Da mesma forma, é durante a juventude que vários acabam por tornarem-se adeptos do satanismo e de várias seitas, buscando incessantemente algo que explique o motivo do ser e do existir. A droga acaba por ser um refúgio aos mais sedentos e desesperados, que ainda não foram alcançados pelo Evangelho legítimo e as festas, regadas por álcool, sexo imprudente, barulho, brigas e bagunça, apenas reflexo de suas almas turbulentas, agoniadas e totalmente desorientadas. Seria, igualmente, o constante barulho de várias igrejas na atualidade, reflexo da turbulência espiritual que vivem?

Falta-lhes algo que faça sentido, alguma verdade maior do que apenas uma reunião forçada aos domingos, com roteiro certinho, muita música, gritos, assovios, danças e palavras motivacionais, que podem ser ouvidas em qualquer palestra secular. Falta algo que encha o ser desses jovens, algo visceral, definitivo, do tipo que diz: “Vem!” Não há perseguição (Mt 5:10-12), não há confronto com o pecado (Mt 18:8-9), não há um aprendizado sólido (Tt 1:9), uma base inabalável (Lc 6:48), não há algo que faça o jovem realmente decidir “viver” de corpo, alma e espírito, todos os sentimentos, o amor, a fraternidade, as dores e a alegria verdadeira em servir a Cristo (Lc 14:2). Não há motivos para dar sua vida, não enxergam uma causa. E é isso que buscam, sentirem-se verdadeiramente acolhidos, úteis, sinceros, coisas que às vezes acabam encontrando em diversas seitas e não, no que é tão comumente chamado de “casa de Deus”.

Não quero ser exagerado quando digo que conheci centenas. Realmente, são centenas, lembro-me de quando a febre G12 invadiu Brasília e ônibus e mais ônibus lotados chegavam do “Encontro” trazendo jovens eufóricos que, em poucos meses, estariam totalmente destruídos e profundamente magoados e revoltados, não contra os mercadores da Palavra e disseminadores desses modismos cristãos, mas contra Deus. A forma displicente, militar e empresarial, como a visão G12 recrutava esses jovens, após atraí-los com suas “estratégias”, totalmente distantes da Palavra, fez com que rios deles abandonassem de uma vez por todas a fé cristã (Mt. 7:16-17, Jo 15:16, Hb 13:9).

“É preciso tapar-lhes a boca, porque transtornam casas inteiras ensinando o que não convém, por torpe ganância.” (Tt 1:11)

Logo a febre “gospel” e as estratégias de entretenimento, começaram a ser utilizadas pela maioria das denominações evangélicas, sem pudor e sem controle, cada vez mais excessivas e escandalosas (Lc 17:1-2). Dizem-se “insanos”, e são no sentido literal e não bíblico (1Co 1:18) da palavra, por fazerem tanto barulho, mas não possuem racionalidade (Rm 12:1) suficiente para compreender que seu barulho, na verdade, não passa de um pequeno chiado no mundo espiritual, que sequer assusta (MT 6:7). Na verdade, acabam por colaborar, mesmo que inocentemente, com Satanás. É triste ver que, mesmo vários pastores consolidados dentro da igreja brasileira, deixaram-se levar pelas ondas do suposto avivamento, ou mundanização, da igreja (1Pe 5:2-4, 2Ts 2:15). Esqueceram-se que não há permanência, onde não existe a verdade. E é isso que está acontecendo, mais e mais jovens desviando-se por não conseguirem encontrar sequer “UM” motivo para permanecerem freqüentando uma igreja.

Enquanto Jesus fascinava e atraía com sua verdade e sua luz, a igreja tem distanciado as pessoas com sua passividade com o pecado e suas estratégias que, cada vez mais, introduzem o mundo nas congregações (2Co 11:3-4, Jr 23:1), esquecendo-se da ordem e decência (1Co 14:40) e do temor a Deus (Lc 5:26). Falta Bíblia, oração, jejum, fé, silêncio, paz, amor, paciência, verdade, confronto, guerra! O caminho que diversas igrejas têm adotado é largo demais para serem comparados com o Caminho, a verdade que elas professam chega a ser brincadeira ante a Verdade e a vida que elas têm oferecido é comum demais perto da Vida (Jo 14:6). Não há foco na salvação, na graça, no arrebatamento, na evangelização, no cumprimento das profecias, mas tão somente no mundo, nas coisas, no ter, ganhar, conquistar, liderar e isso o jovem pode encontrar facilmente em outros lugares fora da igreja (1Tm 6:3-11).

Escrevo esse texto com muita preocupação e um constante incômodo ao ver a situação de nossos jovens. É escrito em meio à tristeza de ser testemunha ocular de tanta devastação, porém com esperança de um verdadeiro “avivamento” que traga a igreja de volta às suas origens, quais sejam a simplicidade do Evangelho, o culto racional e a edificação na rocha, resistente aos ventos de doutrina (Ef 4:14) que, porventura venham tentar derrubar nossa fé. Igreja, cuida dos teus jovens.

Aos jovens que se encontram dentro ou fora do Caminho:

“[...] Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno. Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Pois tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. Ora, o mundo passa, e a sua concupiscência, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” (1Jo 2:14-17)

“Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento; antes que se escureçam o sol, a luz, a lua e as estrelas, e tornem a vir as nuvens depois da chuva;” (Ec 12:1-2)

Procure alguma igreja que professe a Verdade Redentora e viva o Evangelho, que seja firmada tão somente na Palavra, ore bastante, jejue, peça perdão pelos seus pecados, arrependa-se, descubra o que é amar a Deus e ao seu próximo, reúna-se com seus amigos e familiares, mergulhe nas águas das Escrituras e pratique, pratique a cada minuto os ensinamentos de Jesus Cristo.

Em Cristo.

7 comentários:

  1. É bom encontrar postagens que se possa ler e meditar, é bom encontrar irmãos que se esforçam para se manterem íntegros, que se afastam do pecado, e o desmascaram. É bom encontrar irmãos que amam mais a Jesus do que a posição que ocupam. É bom encontrar irmãos que se alegram na verdade e falam dela como uma forma de vida, Isto alegra o coração de Deus, e traz verdadeira recompensa. A pessoas assim deixo um abraço em Cristo Jesus, e que a paz e a graça de Jesus sature o seu coração.

    ResponderExcluir
  2. Parabens pelo tema muito bom!!
    Seu blog e uma benção.
    Quanto tiver um tempo me visite!!
    Um abraço;

    ResponderExcluir
  3. Glória a Deus!!!]
    É muito bom saber que ainda existem pessoas ligadas com a palavra de Deus!!! louvado seja o nome de Jesus pela vida de vocês!!! Continuem assim, com a mente de Cristo. O mundo precisa de cristãos que fassam a diferença.... um abraço...fiquem na Paz!!!

    ResponderExcluir
  4. Graças a Deus por sua vida, que ele continue te usando com ousadia na palavra, e que ela possa alcançar não só os jovens, mas todos aqueles que são pastores, líderes e evangelistas, que nos desperte todos os dias para a verdade e a vida. Para que venhamos construir assim barreiras contra a mundanização dentro da igreja. Que Deus te abençoe ricamente!!!

    Márcia Rocha e Thiago Lucas

    ResponderExcluir
  5. Graças a Deus por sua vida, que ele continue te usando com ousadia na palavra, e que ela possa alcançar não só os jovens, mas todos aqueles que são pastores, líderes e evangelistas, que nos desperte todos os dias para a verdade e a vida. Para que venhamos construir assim barreiras contra a mundanização dentro da igreja. Que Deus te abençoe ricamente!!!

    Márcia Rocha e Thiago Lucas

    ResponderExcluir
  6. A paz de Cristo, veja meu blog: willian bugiga e o site: www.convertidos.com.br
    A Paz e uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  7. Não podemos generalizar, pois tudo que fazemos, fazemos para honra e glória de Deus...

    ResponderExcluir