sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Igreja, cuida de teus jovens

.
Por Wander Ribeiro

Por mais que diversas igrejas (denominações cristãs) estejam numericamente cheias, nunca estiveram espiritualmente tão vazias e os jovens tão distantes de Deus e de sua Verdade. Isso gera mais e mais desviados do Caminho a cada dia. Jovens que passam a frequentar uma igreja em busca de certas coisas e acabam encontrando outras, muitos que procuram algo distante da Palavra e mais próximo aos prazeres terrenos, conquistam, ou não, o que querem e logo se afastam, e ainda os que estão lá apenas fisicamente, por tradição ou obrigação, sem fazer diferença alguma, não são quentes nem frios (Ap 3:15), apenas foram educados para estar ali. A igreja, por sua vez, tenta de várias formas atrair os jovens e adota métodos, estratégias e técnicas cada vez mais ousadas, esquecendo-se e afastando-se da Palavra (2Jo 9). São verdadeiras boates, focadas em provocar sensações, onde o propósito é entreter e chamar a atenção da juventude. Com isso, a mundanização da igreja ocorre em velocidade assustadora e a apostasia (1Tm 4:1, 2Tm 4:3-4) cumpre-se diante dos nossos olhos.

Não creio em estratégias para atrair os jovens. Estes devem ser atraídos tão somente pela simplicidade do Evangelho do Senhor Jesus (2Co 11:3, Gl 1:8), pela Palavra (Rm 10:17). O que é atraído pela música, pela própria música é levado a outros caminhos, o que é atraído pelas danças, acaba tropeçando em seus passos, o que é atraído pelo dinheiro, pela beleza dos cifrões já está corrompido (1Tm 6:9-10, Mt 6:19-20), o que é atraído pela vaidade, é executado pelo seu narcisismo (Ec 12:8). Da mesma forma, o que é levado à igreja por sua busca de satisfação de prazeres carnais, será derrubado pela sua própria cobiça e concupiscência (Tg 1:14). As diversas estratégias acabam colaborando para que o jovem venha, não por Cristo, não em busca de arrependimento, mas em busca dos seus próprios interesses. Deixando-se guiar por seu enganoso coração (Jr 17:9).

Nesses anos, envolvido no meio cristão, vi centenas de jovens adentrarem igrejas, seduzidos por festas, grandes cultos recheados por música, luzes coloridas, coreografias, entre outros. Pude ver como as estratégias malignas são quase infalíveis. Tudo começa com euforia, passa pelo emocionalismo, chora-se muito, grita-se bastante, aprende-se pouco, não há conversão e arrependimento (At 26:20, At. 2:38), nem regeneração (2Co 5:17), muitos saem sem nem terem aprendido a orar (Mt 6:5-15) e, da mesma forma como é a subida, é a queda. Caem sem freio, com a cara no chão, sem base, nem conhecimento sobre Cristo (Mt 13:23), e a queda parece ser tão profunda e dolorosa, que se torna quase impossível um resgate. Acabam em meio às drogas, farras, desilusões, descrença, decepção, entregues á toda sorte de perversões e deteriorações às quais um ser humano pode sujeitar-se.

Não me causa estranheza que toda vez que começo a conversar sobre a Palavra do Redentor, as pessoas simplesmente falam: “Por que não dizem isso na igreja?” Esses questionamentos me levam a crer que os jovens querem sim ouvir sobre Jesus, porém, de forma pura e clara, sem contos, sem fábulas (2Tm 4:1-5), sem farras. Já conhecem esse mundo de festas, bebidas, danças, alucinações e mentiras e buscam, na igreja, algum motivo real para crerem em Cristo. Anseiam por verdade. Querem algo renovador, mas infelizmente, na maioria das vezes acabam por encontrar velhas práticas que já conhecem no mundo. E dizem: “Então é só isso?” Não há motivo algum para permanecer na igreja, a não ser satisfazer seus desejos humanos, massagear seu ego, manter uma boa imagem perante a sociedade, encontrar alguma pessoa para namorar ou “ficar” e ter algum lugar para ir no domingo à noite.

O jovem possui, naturalmente, uma pré-disposição ao conhecimento do novo, à revolução, ao desbravamento de terras e de seu próprio interior. A Palavra da Cruz (Ef 5:2), o Evangelho de Cristo e o plano da salvação (Jo 3:16, Mc. 16:16) e a nova vida em Jesus (2Co 5:17, Gl 6:15) despertam, indubitavelmente, a curiosidade e o interesse nos jovens de forma quase instantânea. Acredito que essa busca pelo sentido da vida, torne os jovens os seres humanos mais abertos a receberem a Palavra. Da mesma forma, é durante a juventude que vários acabam por tornarem-se adeptos do satanismo e de várias seitas, buscando incessantemente algo que explique o motivo do ser e do existir. A droga acaba por ser um refúgio aos mais sedentos e desesperados, que ainda não foram alcançados pelo Evangelho legítimo e as festas, regadas por álcool, sexo imprudente, barulho, brigas e bagunça, apenas reflexo de suas almas turbulentas, agoniadas e totalmente desorientadas. Seria, igualmente, o constante barulho de várias igrejas na atualidade, reflexo da turbulência espiritual que vivem?

Falta-lhes algo que faça sentido, alguma verdade maior do que apenas uma reunião forçada aos domingos, com roteiro certinho, muita música, gritos, assovios, danças e palavras motivacionais, que podem ser ouvidas em qualquer palestra secular. Falta algo que encha o ser desses jovens, algo visceral, definitivo, do tipo que diz: “Vem!” Não há perseguição (Mt 5:10-12), não há confronto com o pecado (Mt 18:8-9), não há um aprendizado sólido (Tt 1:9), uma base inabalável (Lc 6:48), não há algo que faça o jovem realmente decidir “viver” de corpo, alma e espírito, todos os sentimentos, o amor, a fraternidade, as dores e a alegria verdadeira em servir a Cristo (Lc 14:2). Não há motivos para dar sua vida, não enxergam uma causa. E é isso que buscam, sentirem-se verdadeiramente acolhidos, úteis, sinceros, coisas que às vezes acabam encontrando em diversas seitas e não, no que é tão comumente chamado de “casa de Deus”.

Não quero ser exagerado quando digo que conheci centenas. Realmente, são centenas, lembro-me de quando a febre G12 invadiu Brasília e ônibus e mais ônibus lotados chegavam do “Encontro” trazendo jovens eufóricos que, em poucos meses, estariam totalmente destruídos e profundamente magoados e revoltados, não contra os mercadores da Palavra e disseminadores desses modismos cristãos, mas contra Deus. A forma displicente, militar e empresarial, como a visão G12 recrutava esses jovens, após atraí-los com suas “estratégias”, totalmente distantes da Palavra, fez com que rios deles abandonassem de uma vez por todas a fé cristã (Mt. 7:16-17, Jo 15:16, Hb 13:9).

“É preciso tapar-lhes a boca, porque transtornam casas inteiras ensinando o que não convém, por torpe ganância.” (Tt 1:11)

Logo a febre “gospel” e as estratégias de entretenimento, começaram a ser utilizadas pela maioria das denominações evangélicas, sem pudor e sem controle, cada vez mais excessivas e escandalosas (Lc 17:1-2). Dizem-se “insanos”, e são no sentido literal e não bíblico (1Co 1:18) da palavra, por fazerem tanto barulho, mas não possuem racionalidade (Rm 12:1) suficiente para compreender que seu barulho, na verdade, não passa de um pequeno chiado no mundo espiritual, que sequer assusta (MT 6:7). Na verdade, acabam por colaborar, mesmo que inocentemente, com Satanás. É triste ver que, mesmo vários pastores consolidados dentro da igreja brasileira, deixaram-se levar pelas ondas do suposto avivamento, ou mundanização, da igreja (1Pe 5:2-4, 2Ts 2:15). Esqueceram-se que não há permanência, onde não existe a verdade. E é isso que está acontecendo, mais e mais jovens desviando-se por não conseguirem encontrar sequer “UM” motivo para permanecerem freqüentando uma igreja.

Enquanto Jesus fascinava e atraía com sua verdade e sua luz, a igreja tem distanciado as pessoas com sua passividade com o pecado e suas estratégias que, cada vez mais, introduzem o mundo nas congregações (2Co 11:3-4, Jr 23:1), esquecendo-se da ordem e decência (1Co 14:40) e do temor a Deus (Lc 5:26). Falta Bíblia, oração, jejum, fé, silêncio, paz, amor, paciência, verdade, confronto, guerra! O caminho que diversas igrejas têm adotado é largo demais para serem comparados com o Caminho, a verdade que elas professam chega a ser brincadeira ante a Verdade e a vida que elas têm oferecido é comum demais perto da Vida (Jo 14:6). Não há foco na salvação, na graça, no arrebatamento, na evangelização, no cumprimento das profecias, mas tão somente no mundo, nas coisas, no ter, ganhar, conquistar, liderar e isso o jovem pode encontrar facilmente em outros lugares fora da igreja (1Tm 6:3-11).

Escrevo esse texto com muita preocupação e um constante incômodo ao ver a situação de nossos jovens. É escrito em meio à tristeza de ser testemunha ocular de tanta devastação, porém com esperança de um verdadeiro “avivamento” que traga a igreja de volta às suas origens, quais sejam a simplicidade do Evangelho, o culto racional e a edificação na rocha, resistente aos ventos de doutrina (Ef 4:14) que, porventura venham tentar derrubar nossa fé. Igreja, cuida dos teus jovens.

Aos jovens que se encontram dentro ou fora do Caminho:

“[...] Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno. Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Pois tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. Ora, o mundo passa, e a sua concupiscência, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” (1Jo 2:14-17)

“Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento; antes que se escureçam o sol, a luz, a lua e as estrelas, e tornem a vir as nuvens depois da chuva;” (Ec 12:1-2)

Procure alguma igreja que professe a Verdade Redentora e viva o Evangelho, que seja firmada tão somente na Palavra, ore bastante, jejue, peça perdão pelos seus pecados, arrependa-se, descubra o que é amar a Deus e ao seu próximo, reúna-se com seus amigos e familiares, mergulhe nas águas das Escrituras e pratique, pratique a cada minuto os ensinamentos de Jesus Cristo.

Em Cristo.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

domingo, 28 de novembro de 2010

Sobre devaneios e permanência

 
Por Israel Leal 

Deus não está comigo, Deus não está comigo! Estou desamparado, sou mais animal do que gente, não tenho a inteligência que um ser humano deve ter, nunca aprendi a ser sábio e não conheço o Deus santo. 

A gente gasta a vida trabalhando, se esforçando e afinal que vantagem levamos em tudo isso? Pessoas nascem, pessoas morrem, mas o mundo continua sempre o mesmo. O sol continua a nascer e se pôr, e volta ao seu lugar para começar tudo outra vez. 

Todas as coisas nos levam ao cansaço, um cansaço tão grande que nem dá para medir.  Os nossos olhos não se cansam de ver, nem os nossos ouvidos de ouvir, o que aconteceu antes vai acontecer outra vez, o que foi feito antes será feito novamente não há nada de novo nesse mundo.

Assim, procurei descobrir o que é o conhecimento (diferente de educação) e a sabedoria (que vem do Pai), o que é a tolice e a falta de juízo. Mas descobri que isso é o mesmo que correr atrás do vento, então resolvi me divertir e gozar os prazeres da vida, mas descobri que isso também é ilusão. Cheguei à conclusão de que o riso é tolice, que o prazer não serve para nada. Apenas momento.

Consegui tudo o que desejei, não neguei a mim mesmo nenhum tipo de prazer. Eu me sentia feliz no meu trabalho e essa era a minha recompensa. Mas quando pensei em todas as coisas que havia feito, e no trabalho que tinha tido para conseguir realizar, compreendi que tudo aquilo não passava de um simples devaneio, não tinha nenhum proveito, era como se eu estivesse correndo atrás do vento.

Então comecei a pensar no que é ser um homem erudito e no que é ser ridículo, ou um imbecil sem juízo. Por exemplo: Será que uma autoridade pode fazer alguma coisa que seja nova? Não! Só pode fazer o que fizeram as autoridades antes dele. E cheguei à conclusão de que o homem erudito é melhor do que o ridículo, assim como a luz é melhor do que a escuridão.

Os homens eruditos podem ver para onde estão indo, mas o ridículo anda na escuridão. Porém eu sei que o mesmo que acontece com o erudito, acontece com o imbecil.

Pensei: O que acontece com o imbecil vai acontecer com o erudito também, então o que eu ganho sendo um homem erudito? Nada! 

Ninguém lembra para sempre dos homens eruditos como ninguém lembra do imbecil. No futuro todos nós seremos esquecidos, todos morreremos, tanto erudito quanto o imbecil.

Nós trabalhamos e nos preocupamos a vida toda e o que é que ganhamos com isso? Tudo o que fazemos na vida não nos traz nada a não ser preocupações e desgostos. Não podemos descansar nem de noite, é tudo ilusão.

Jeová dá sabedoria, conhecimento e felicidade às pessoas de quem ele gosta. Mas o Pai faz com que os maus trabalhem, economizem e ajuntem afim de que a riqueza deles seja dada as pessoas de quem ele gosta, mas é um devaneio, é tudo como correr atrás do vento. A melhor coisa que alguém pode fazer é comer e beber e se divertir com o dinheiro que ganhou.

No entanto compreendi que mesmo essas coisas vêm do Pai, sem ele como teríamos o que comer ou como nos divertir? 

Vejo que as sensações da vida, podendo ser boas ou ruins, limitam nosso viver. Se vivermos com essas sensações e fizermos delas nosso tudo, a nossa eternidade se resumirá nisso.

Sabendo eu que a vida resume-se em quatro estações, entendi que seu sentido é: nascer, crescer, correr e morrer. Este último, o lugar silencioso. Fica claro para mim o que realmente é digno de valor. Na hora da morte, morre um sonho, planos, projetos, momentos, desaparece tudo o que este mundo tem a oferecer a um homem. É valioso somente o que permanece eternamente.  
  

sábado, 20 de novembro de 2010

Contra quem é a guerra?

Por Jackson Cruz

Sem muitas palavras... apenas assista o vídeo abaixo:


"Ninguém, ao ser tentado, diga: Sou tentado por Deus. Pois Deus não pode ser tentado pelo mal, e ele a ninguém tenta. Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte." (Tiago 1:13-15)  

"Quem tem ouvidos para ouvir, ouça." (Mateus 11:15)
 
Por John Piper. © Desiring God. Website:desiringGod.org
Tradução e Edição: voltemosaoevangelho.com
 

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Uma Palavrantiga para você!

 

Por Wander Ribeiro

Sou daquele tipo que ainda pára para ouvir uma música, ouço muito, gosto do bom som, fico impressionado com quem sabe utilizar seus dons. Lembro da minha adolescência, quando atravessava quase que a cidade inteira a pé para gravar fitas cassete na casa de um amigo. Não havia a facilidade de hoje. Você sempre conhecia alguém, que conhecia alguém que tinha determinada fita, nunca era uma missão fácil. E a busca começava.  Quem viveu nessa época sabe. E o bom era que nessas visitas em busca de música, acabávamos ouvindo várias, conversando, passando algum tempo com os amigos, sorrindo, enfim, eram outros tempos.

Hoje, o processo tornou-se milhares de vezes mais prático. Basta um clique para você ter acesso à música que quiser pela internet e compartilhar com os amigos. Infelizmente as visitas para trocar figurinhas musicais não existem mais. No máximo um: “Pera aeew que eu vou mandar as músicas.” E a quantidade de músicas disponíveis na rede é tão assustadora que o que antes faltava, hoje sobra. Pena que vejo pessoas com gigas e mais gigas de música que nunca ouviram, e certamente nunca irão ouvir, mal sabem seus conteúdos. Tornou-se um vício, não escutar as músicas, mas ter arquivos no computador. São tantos downloads que não sobra tempo para o que antes era o principal.

Ainda “fuço” a internet buscando algo que agrade meus ouvidos e me transmita algo, só que infelizmente, em meio a tantas bandas, sonoridades e informações, a boa música está cada vez mais escassa. Na verdade há pouco tempo atrás eu acreditei que ela havia sumido. A música gospel nem se fala! Pobre, sem Palavra, sem conteúdo, copiada, repetitiva, cansativa, pensei que não haviam mais alternativas. Até que uns meses atrás, meu amigo Israel Leal, em uma conversa internética (coisa da qual ele foge o máximo possível rsrs), disse: “Wander, encontrei o que estávamos procurando.” E me enviou uma música chamada “Feito de Barro”, o nome da banda era Palavrantiga. Pronto, comecei a pesquisar sobre a banda, ouvir as músicas e, desde então, passei a acreditar que algo ainda pode ser feito para resgatar a música cristã. Sinceramente, senti algo bom a cada música que ouvia, e ainda sinto.

Palavrantiga é daquelas bandas que você irá querer ouvir de novo, e de novo. Cheia de musicalidade, simplicidade e originalidade. Com conteúdo, que expressa as verdades do Evangelho e o amor de Cristo por nós. São notáveis as influências “musicais” da banda, que vão desde a bossa nova, passando por The Strokes, à Los Hermanos, mas os mineiros do Palavrantiga não se prendem a esses rótulos e acabam criando uma sonoridade própria, e de ótima qualidade. Eles têm um CD gravado, intitulado “Palavrantiga – Vol.1” e já preparam novo disco que se chamará “Esperar é Caminhar”. Há bastante tempo eu não via tanta verdade na música cristã. Só peço a Deus que ajude essa banda a permanecer Nele.

E uma sugestão.  Faça como antigamente, reúna os amigos para escutar as músicas. Com certeza vocês terão muito assunto pela frente. Não perca a oportunidade de ter comunhão com eles. Faça como nos velhos tempos.

Conheça o Palavrantiga:
 
  
"Deus, Onde Estás?" - Palavrantiga:
 
 

Um forte abraço!

sábado, 13 de novembro de 2010

Nossas vidas e uma obrigação!


Por Jackson Cruz

Estreita Porta. Sinceramente não haveria título melhor para esse blog, acredito que o primeiro “post” já responde quem somos e qual é o nosso objetivo aqui. Estamos muito felizes, não porque temos agora um “BLOG”, mas porque cremos que o valor do evangelho uma vez perdido no mundo, mas não em nossos corações, renascerá nesse lugar. 
Com todas nossas conversas e revoltas devido a um evangelho falso, fácil e até mesmo prostituído, observamos que não somos os únicos que estão atentos a este problema, esse fato, chamaria isso de CÂNCER, e um câncer não pode ser tratado com descaso. Há uma necessidade para essa causa, há um preço, há uma guerra. E quem são os soldados? Quem estará na linha de frente?  Precisamos nos posicionar, formar um time que joga em um só lado, participar de fato dos planos que estão no coração de Deus, alegrar-se com Ele, mas também angustiar-se com Ele. 2 Tm 2:4 “Ninguém que milita se embaraça com negócio desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra”. 
Chamo a atenção de todos e vos convido para levantarmos de nosso confortável sofá, deixar nossa agradável mordomia e em alta voz anunciar as boas novas, e com graça divina levantamos uma bandeira chamada cristianismo anunciando o Criador do mesmo, para que experimentemos a agradável perseguição dos que verdadeiramente servem a Jesus, o Sofredor. 1Co 9:16 “Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim se não anunciar o evangelho!” 
Confira este vídeo:

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

G12 - Vento de Doutrina (Parte 3 - Final)

concluindo o desabafo...
  
DESABAFO DE UM EX-G12 (VENTO DE DOUTRINA)
Parte 3 - Final
 
Por Wander Ribeiro
  
Sou fruto de uma visão copiada. Isso mesmo, quer que eu repita? Copiada, ou ainda C-O-P-I-A-D-A. O auto intitulado "apóstolo" César Castellanos, diz em seu livro "Sonha e Ganharás o Mundo" que em 1991 recebeu do Espírito Santo, após várias horas de oração, a extraordinária revelação do modelo dos doze. “Amados, não creiais em todo espírito, mas provei se os espíritos vêm de Deus, porque já muitos falsos profetas têm surgido no mundo.” (1Jo 4:1); Mas existe um pequeno problema, esse modelo foi criado em 1930 pela Cristandade católica, existem documentos que comprovam que os Cursilhos (no caso os Encontros) possuem a mesma estrutura da atual igreja celular. Pré-Cursilho, Cursilho, Pós-Cursilho, tudo mesmo, desde a motivação ao quebrantamento e ao choro no Cursilho, a música, a lei do silêncio, os 12, as células, o voto de guardar segredo, tudo existe desde os anos 30.

Em 1968 houve um grande congresso latino-americano realizado pela Cristandade e adivinhem aonde? Acertou quem disse Colômbia. Isso mesmo a terra de César Castellanos. O curioso é que em 1973 o Reverendo Anselmo Chaves, escreveu um livro chamado Os Cursilhistas, justamente para combater o Movimento dos Cursilhos da Cristandade. Não tape os olhos ao que está lendo, em 1973 o modelo dos 12 já era uma realidade e combatido pelos cristãos. Não vou entrar em muitos detalhes confiram vocês mesmos nesse artigo que explica passo a passo e apresenta inclusive as páginas originais do livro Os Cursilhistas, escrito em 1973. 
 
Pergunto, como pode o Espírito Santo de Deus ter feito um plágio, uma cópia, pirataria, de uma visão existente e entregado ao seu ungido em 1991 algo que já existia nos anos 30 e foi combatido pelos cristãos nos anos 70? Realmente é o que mais me intriga. Será que Cesar não teve contato com nenhum material disponível no congresso dos Cursilhistas em 1968, realizado na Colômbia, mesmo que esse acesso fosse posteriormente? São duas as opções: ou ele teve acesso a esse material ou o Espírito Santo de Deus é um ladrão, e então, Cesar ou Deus? Logicamente a visão foi roubada da Igreja Católica, eles deviam estar furiosos com os tais “profetas de Deus” da Igreja Evangélica. “Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo;” (1Pe. 2:2)
 
Sou fruto de um Evangelho que gera cristãos natimortos, que alguns meses depois de alcançarem a liderança de células, tiram a poeira dos olhos e jogam tudo para o ar. Saem frustrados, assim como eu saí. Deus não realiza tudo o que os pastores prometem, aliás, se os pastores é que prometeram, porque a culpa acaba sendo de Deus? A psicologia não tem capacidade de segurar alguém na igreja, pelo contrário, é um abismo que vai conduzindo a outros. A maioria dos que ficam firmes nas igrejas G12 e prosseguem é porque têm criação evangélica, ou são estrelas do mundo gospel, ou lucram (ou pretendem lucrar) muita grana com a visão, ou querem farra mesmo, mas grande parte dos que estão hoje apenas suportam o G12.
 
Essa visão não está ganhando uma geração para Cristo, está sim criando uma geração de desviados que não querem mais nem ouvir o nome de Jesus, mesmo antes de conhecer a verdadeira palavra de Deus e a obra que deve ser feita, pois tiveram seus sonhos frustrados, não foram ensinados a buscarem a salvação em Cristo mas a buscarem qualidade de vida, cura interior, libertação, bens materiais, foram erroneamente ensinados que nossos sonhos são os sonhos de Deus e que Ele irá realizá-los, seja lá quais forem eles e suas intenções e custe o que custar. Abandonam o caminho ao menor sinal. “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores. Por seus frutos os conhecereis. Porventura, colhem-se uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos?” (Mt 7:15-16) 
 
Se não consegue uma namorada, está fora. Se não consegue um emprego, está fora. Não consegue uma vaguinha no grupo de louvor, está fora. Não faz sucesso na música gospel, está fora. Não recebe a tal chuva de bênçãos, está fora. O pastor está ocupado demais para falar com você, está fora. Discute com o líder de célula, está fora. Um carro passa em cima de uma possa d’água ao seu lado e te dá um banho, está fora. O chefe dá um puxão de orelhas no serviço, está fora. E por que? Simplesmente porque foram ensinados que essas coisas não deviam acontecer, que somos príncipes e princesas de Deus, temos que desfrutar do melhor dessa Terra, tudo tem que ser bom aqui e agora. A salvação não importa, o que interessa mesmo é a qualidade de vida. E se algo der errado adivinha de quem é a culpa? De Deus, como sempre. "Irmãos, não sejais meninos no juízo; na malícia, sim, sede crianças; quanto ao juízo, sede homens amadurecidos" (1Co 14:20)
 
O G12 atrai muito por pregar estas coisas, mas infelizmente os corações continuam vazios no decorrer da caminhada. Esse sistema está criando uma geração de chorões, verdadeiros fanfarrões espirituais, que pedem pra sair por nada, onde estão os crentes guerreiros? O certo seria se chorássemos, chegássemos molhados, cansados, abatidos, desanimados, demitidos, financeiramente falidos, às reuniões da igreja, mas totalmente felizes por estarmos ali para cultuar e adorar em espírito e em verdade ao Deus que nos perdoou dos nossos caminhos e, em breve, irá voltar para buscar sua amada igreja, creia você ou não. 
 
Agora você deve entender porque sua avó e seu avô, ou seus pais estão firmes em Cristo, freqüentam a igreja desde que você nasceu, ou desde que era criança. Eles crêem na Palavra: “Pois também eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” (Mt 16:18); Eles estão lá, firmes e fortes, e ouse tirá-los desse caminho, nunca irão dar ouvidos a você e nem a ninguém, pois compreendem o verdadeiro propósito, a verdadeira promessa de Deus para os que permanecerem com Ele até o fim nessa Terra, com certeza te diriam: “Assim, pois, irmãos, permanecei firmes, e conservai as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa.” (2 Ts. 2.15); 
 
Porque as tradicionais Assembléias, Batistas, Presbiterianas, entre outras, estão cheias de idosos que seguem a Cristo a 20, 30, 40, 50 anos? E porque os jovens não têm a mesma disposição no G12? Simples: aqueles crêem nas promessas e profecias bíblicas, estes crêem nas promessas e profecias dos líderes. “Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” (Fp. 3:13-14)

 
  
Dou graças a Deus por esse sistema G12 estar enfraquecendo, a visão que ia mudar o mundo não chama mais a atenção como no início. Várias pessoas que conheço, agora procuram a sã doutrina e estão sedentos pela Palavra. Também, já vejo igrejas abandonando essa enganação e quebrando os laços com Cesar, que cobra “direitos autorais” pelo uso da marca G12, aliás, o também auto intitulado “apóstolo” Renê Terra Nova rompeu com o colombiano por esses motivos e criou o M12 no Brasil, que é a mesma coisa que o G12. “Por isso vos digo: Dai de mão a estes homens, deixai-os, pois se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará, mas se é de Deus, não podereis desfazê-la...” (At. 5:38-39); E a máscara está caindo, graças ao Senhor. 

Infelizmente a maioria dos frutos do G12 encontram-se bem longe dos caminhos do Senhor. “Por seus frutos os conhecereis. Porventura, colhem-se uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus.” (Mt. 7:16-17); Espero que ao lerem esse texto compreendam que a culpa de sua frustração nunca foi de Deus e sim de uma visão plagiada e comecem a buscar ao Deus que nunca falha e sempre cumpre suas promessas, pois Ele quer te dar a vida eterna. Afinal: “Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.” (Jo. 15:16); Se o fruto não permanece, não provém de Deus. 
 
Para quem acha que sou mais um desinformado que derrepente resolveu escrever este texto. Engana-se, conheço bem do que estou falando. Quando digo “sou fruto de um Evangelho que...” é porque realmente aconteceu comigo, fui ao Pré-Encontro, Encontro, Pós-Encontro, Células, Escola de Líderes, fui Líder de Célula, e dou graças a Deus por não ter me aprofundado mais nesse engano, coisa que poucos fazem, pois o processo é tão rápido que você sai frustrado da igreja antes que isso ocorra. Repito: “Psicologia não segura ninguém na igreja, graças a Deus”. “Não vos deixeis envolver por doutrinas várias e estranhas. Bom é que o coração se fortifique com a graça, e não com alimentos que não trouxeram proveito nenhum aos que com eles se preocuparam.” (Hb 13:9) 
 
Veja, tudo isso que citei, fiz em 2 anos. Não suportei, como a maioria, e logo percebi que essa visão está longe, muito longe das verdades bíblicas, fora que os bastidores são horríveis, as almas são tratadas como números e o que importa é quantidade e não qualidade. Por isso digo que é um sistema falido, gerando a cada Encontro frutos natimortos. Claro que ao sair tive meu período de revolta, questionamentos sobre Deus, vãs filosofias etc, mas para mim foi ótimo quando fui liberto dessa visão enganadora, pois tive mais tempo para família, amigos, estudos, leitura e, principalmente, passei a ter uma maior intimidade com a Palavra de Deus e, por conseqüência, com o próprio Deus e a consciência de que sua grandeza em minha vida transcende qualquer riqueza que me possam oferecer neste mundo, e seu reino deve ser divulgado com amor e verdade. Compreendi a verdade desse versículo: “Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” (2Co 5:17)
 
Você que ainda é G12, não sabe como é bom acordar e saber que alguém deu a vida por você, derramou seu sangue inocente para te dar salvação, acesso direto ao Pai, cura, libertação. Como é bom acordar e pensar em Deus e não: “o que o diabo está armando para mim hoje?” Nada disso, estou falando de vida e vida em abundância no mais puro sentido dessa expressão. 

Peço que não ignore o que leu aqui (se preciso, leia novamente o texto), pois “Não é bom agir sem refletir; e o que se apressa com seus pés erra o caminho” (Pv. 19:2), e se mesmo com tudo que foi dito você ainda não se convenceu, isso é normal, comigo foi assim também, no começo é difícil. Aconselho a analisar as práticas da igreja a qual freqüenta e confrontá-las com a palavra de Deus, "Examinai tudo..." (1Ts. 5:21), simplesmente “para que não sejamos mais meninos, inconstantes, levados ao redor por todo vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia induzem ao erro.” (Ef. 4:14) 
 
Caso você discorde da palavra de Deus e prefira as práticas da sua igreja, o que posso fazer é orar por você, mas se perceber algo em desconformidade com a luz da Bíblia aconselho a procurar uma igreja que tenha a visão tão somente no Deus de ontem, hoje e sempre e dê prioridade à verdade da Bíblia Sagrada. Fuja das doutrinas dos homens. “Se alguém ensina alguma doutrina diversa, e não se conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, injúrias, suspeitas maliciosas, disputas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade... Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a constância, a mansidão.” (1Tm 6:3-11) 
 
Permaneçamos somente nEle. Forte abraço.
 
Wander Ribeiro

  
Referências Bibiográficas: 
A Bíblia Sagrada, Edição Contemporânea, João Ferreira de Almeida; 
Adoração Extravagante?, Pr. Ciro Zibordi, Blog do Ciro;
Bíblia Web, www.bíbliaweb.com.br;
G12: O fruto do engano no Corpo de Cristo, Márcio Argachof, Revisores Teológicos: Pr. Alexandros D. Meimaridis e Pr. Magno Paganelli, Jesus Site;
O Diabo Agradece a Preferência, Pr. Ciro Zibordi, Blog do Ciro;
Ponto Final sobre a Verdade do G12/M12 e Similares, Bereianos – Apologética Cristã;
Pregadores, Televangelistas e Cantores mais Populares que Jesus Cristo, Pr. Ciro Zibordi, Blog do Ciro;
Preparem o Azorrague, Mariel Marra, Ponto Crítico;

 Parte 01   Parte 02   Parte 03